‘Como saber quando um negócio alcançou a sua maturidade?’

Para responder a pergunta, vale a pena enfatizar um termo de suma importância para a sustentabilidade empresarial, que contribui para o amadurecimento de negócios e funciona como norteador dos caminhos almejados para a obtenção de resultados positivos: o planejamento.

No entanto, nem todas as empresas dão a devida importância ao planejamento. Dizer não ao planejamento é dizer sim ao imediatismo por resultados e sim a atitudes reativas, ao invés de assumir atitudes prospectoras, com os “pés no chão”. Empresas maduras se desgastam por apostarem na imutabilidade de seus modelos de negócios com o passar dos anos ou em modelos de gestão ultrapassados. Porém, há aquelas que buscam evolução por meio de constantes otimizações de recursos, quebrando paradigmas, rompendo zonas de conforto, lidando com os ganhos e também com as perdas com modelo eficiente de gestão.

Empresas com mais de 40 anos de existência vivenciam contextos diversos de riscos e oportunidades. Quando bem preparadas em estrutura e conhecimento, conseguem suplantar as adversidades e aproveitar as oportunidades. O desafio está em ser uma “empresa madura com o pensamento moderno”. Não planejar toda esta jornada é jogar fora sua história, com capítulos que abordam conquistas, perdas, superações e cultura organizacional.

O processo de amadurecimento é contínuo, não havendo esgotamento em si. Sempre há espaço para aprender mais, agregar mais informações e transformá-las em conhecimentos e em resultados. É preciso que haja evolução na gestão por meio da melhoria contínua em processos internos, pessoas, tecnologia e estratégias.

Por: Luiz Fernando Silva – Estadão – 08/2017

Deixe um Comentário