Ai que preguiça…

A preguiça é INIMIGA ferrenha da LIBERDADE…

A preguiça é uma companheira danada porque usa vários disfarces. Um exercício interessante é tentar descobrir nas nossas queixas onde é que a preguiça está atrapalhando.

Além de adiar sempre; além de não priorizar ações:

A preguiça aparece no mimo de pedir que os outros façam as coisas porque somos merecedores e os outros têm obrigação de nos servir !!!!!!!!!  Dá prá marcar o médico para mim?

A preguiça aparece no mino de não se sentir capaz sem mesmo tentar fazer… Dá para você colocar o carro na vaga?

A preguiça aparece quando a baixa autoestima aquece nosso lado incompetente e acreditamos que os outros sempre fazem melhor… Costura pra mim a calça porque você sabe fazer muito melhor!

A preguiça aparece quando divulgamos que não dá tempo pra nada, que somos pessoas muito ocupadas ??? Infelizmente não deu pra ligar porque meu dia estava super ocupado!

A preguiça aparece quando acreditamos que é até bom ser dependente… Ah! É tão bom você cuidar de mim !!!

A preguiça também aparece quando a depressão se aproxima e não encontramos coragem de encarar a realidade e procurar auxílio médico! Só penso em dormir, acho que é esse tempo louco!

A preguiça aparece quando estamos sequestrados pela insatisfação, medos, mágoas e reclamações… Nem saio mais à noite porque o mundo está tão perigoso !!!

A preguiça é na maioria das vezes uma atitude filhote do egoísmo de acreditar que somos a “ultima coca-cola do deserto”, “a última bolachinha recheada do pacote”, “uma ararinha azul em extinção, etc… pessoas especiais facilmente magoáveis a quem o mundo ao redor deve quase tudo.

A preguiça é inimiga ferrenha da LIBERDADE, da ALEGRIA, da AUTONOMIA, do CRESCIMENTO, de CURTIR A VIDA e construir um projeto que faça a DIFERENÇA na nossa história.

Somos Fortes já que sobrevivemos e ultrapassamos até aqui inúmeras crises. Agir na plenitute de nossas possibilidades é estimulante porque cumprimos a missão de ser verdadeiramente um humano participando do mundo contemporâneo.

Como sempre, depende principalmente do nosso esforço pessoal fazer acontecer as mudanças na vida.

Por: Maria Helena Moreira

Deixe um Comentário